Sem bagagem

Depois de 40 anos trabalhando “a rigor”, como dizia, queria livrar-se do excesso de bagagem. Ansiava viver. Despiu-se da gravata e do terno, abriu a gaveta esquecida, e vestiu-se de sonhos juvenis.

Be the first to comment

Leave a Reply

Your email address will not be published.


*